dom_sebastião_leite_de_vasconcellos_castanho

© Copyright, 2024 • D. Sebastião Leite de Vasconcellos • Todos os direitos reservados.

 

centro de estudos_site
asc_img_don_rua_con_salesiani_11.jpeg

Cronologia
da vida e obra

03-05-1852 29-01-1923

D. Sebastião Leite de Vasconcellos

Sacerdote próximo do Cardeal-Bispo D. Américo, apreciado pelos seus pares, fundador da Real Oficina de S. José do Porto, atormentado Bispo de Beja, acolhido por S. Pio X, Assistente ao Sólio Pontifício, Arcebispo de Damieta, Legado Pontifício. Conheça a vida e a obra deste ilustre português. Através da cronologia que se segue, acompanhe os marcos importantes da existência do
«D. Bosco português», como ficou notabilizado.

1852

1861

1866

3 de Maio – Nasce Sebastião Leite de Vasconcellos, quarto filho de António Leite de Vasconcellos e de Margarida do Carmo e Cruz, na R. de Trás da Sé, freguesia da Sé, concelho do Porto.
 

14 de Maio – No dia de S. Matias, o pequeno Sebastião é baptizado na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, a Catedral do Porto, tendo como padrinhos Sebastião Leme do Sacramento e Maria Teresa Leme.

8 de Janeiro – Com oito anos, entra no Real Colégio dos Meninos Órfãos de Nossa Senhora da Graça, no Porto, onde completa os estudos primários.

É admitido no Colégio de Campolide, em Lisboa, para estudar Filosofia, Grego e Latinidade.

1868

1871

1873

É apresentado ao Seminário Episcopal do Porto, tendo frequentado os estudos preparatórios no Liceu Nacional.

20 de Setembro – Recebe as Ordens Menores.

7 de Junho – É ordenado subdiácono. Termina com distinção o triénio teológico, que frequentou como aluno externo.

1874

1875

1876

30 de Maio – Recebe a ordenação diaconal.
 

15 de Novembro – É ordenado sacerdote, na Sé do Porto, pelo futuro purpurado D. Américo Ferreira dos Santos Silva. Assume inúmeras funções na Câmara Eclesiástica, a par das que exercia desde os tempos de Seminário, e na Ordem Terceira de S. Francisco do Porto.
 

8 de Dezembro – Reza a primeira Missa na Igreja de Santo Ildefonso, no centro do Porto.

Fez concurso, por provas públicas, para a Paróquia de S. Tiago de Beduído, em Estarreja, tendo requerido desistência da apresentação régia no ano seguinte.

22 de Abril – É admitido como irmão da Irmandade dos Clérigos do Porto.

1880

1882

1883

Dá início à Oficina de S. José no Porto.

Encontra-se pessoalmente com o P. João Melchior Bosco, santo fundador dos Salesianos. Viria a acolher, em 1899, o seu sucessor, o P. Miguel Rua, por ocasião da visita ao Porto.

4 de Outubro – Na festa de S. Francisco de Assis, instala a sua Oficina no número 15 da R. de Trás da Sé, a mesma artéria onde nascera três décadas antes.

1884

1887

1889

27 de Agosto – Morre António Leite de Vasconcellos, seu pai, no Porto.

8 de Setembro – São aprovados, pelo Governo Civil do Porto, os primeiros estatutos da Oficina de S. José.

8 de Dezembro – É fundada a Oficina de S. José na cidade de Braga, devendo-se tal iniciativa à acção de D. António José de Freitas Honorato, Arcebispo de Primaz, que conta com o apoio do P. Sebastião Leite de Vasconcellos.

1890

1891

1901

1 de Novembro – São inauguradas, na
R. de Alexandre Herculano, as instalações definitivas da Oficina de S. José do Porto.

31 de Janeiro – Insurreição republicana no Porto. O P. Sebastião, apoiado pelos seus rapazes, conforta e absolve sacramentalmente os moribundos, dá de comer aos afamados e acompanha os feridos ao Hospital do Terço.

18 de Janeiro – Apresenta uma conferência, na Igreja da Encarnação, em Lisboa, sobre a Oficina de S. José e a obra de D. Bosco. Estão presentes a Rainha D.ª Amélia, o Núncio Apostólico e vários prelados.

1907

1908

1909

24 de Maio – Na festa de Nossa Senhora Auxiliadora, D. António José de Sousa Barroso, Bispo do Porto, benze a primeira pedra do futuro templo público da Oficina. Também nesse dia, e de forma imprevista, as notícias anunciam a nomeação do P. Sebastião de Vasconcellos para Bispo de Beja.


1 de Agosto – É eleito Bispo de Beja, sucedendo a D. António Xavier de Sousa Monteiro, falecido em Julho do ano anterior.


5 de Dezembro – O Cardeal Rafael Merry del Val, Secretário de Estado de Sua Santidade, por ocasião do início das comemorações do jubileu da Oficina de S. José, escreve uma carta ao P. Sebastião, transmitindo-lhe palavras de estímulo da parte do Santo Padre Pio X.


19 de Dezembro – É confirmado Bispo de Beja, por S. Pio X, no Consistório Secreto desse mesmo dia.

29 de Janeiro – Dirige uma breve saudação à Diocese de Beja.
 

2 de Fevereiro – Um dia depois do regicídio, é sagrado bispo, na Sé do Porto, sendo sagrante D. António Barroso, auxiliado por D. Manuel Correia de Bastos Pina, Bispo-Conde de Coimbra, e por D. José Alves de Mariz, Bispo de Bragança-Miranda. Publica, nesse mesmo dia, a primeira Carta Pastoral dirigida à Diocese de Beja.


9 de Fevereiro – Toma posse por procuração.


11 de Março – Entra solenemente em Beja.


31 de Maio – Publica a segunda Carta Pastoral.


30 de Junho – Morre Margarida do Carmo e Cruz, sua mãe, no Porto.


15 de Agosto – Faz publicar o edital relativo às condições para as matrículas no Seminário de Beja, que é reaberto em Outubro seguinte.

22 de Fevereiro – Publica a terceira Carta Pastoral.


7 de Maio a 21 de Junho – Visita ad limina e peregrinação lusa a Roma.

1910

1911

1912

12 de Fevereiro – Publica a última Carta Pastoral.


28 de Setembro – Parte para a visita pastoral em Moura e Barrancos.


5 de Outubro – A república é violentamente implantada em Lisboa. O Paço Episcopal de Beja é assaltado por revoltosos. D. Sebastião é impedido de regressar a Beja, pernoitando em Pias, na zona de Serpa.


6 de Outubro – É forçado a sair de Portugal, encaminhando-se para Sevilha.


10 de Outubro – É acolhido no Seminário Geral e Pontifício de Sevilha.


15 de Outubro – Escreve à Direcção-Geral dos Negócios Eclesiásticos, justificando a sua ausência da respectiva circunscrição eclesiástica.


21 de Outubro – É autoritariamente suspenso por decisão de Afonso Costa, Ministro da Justiça.

18 de Abril – É arbitrariamente demitido do seu cargo de Bispo de Beja pelo Governo Provisório.


23 de Junho a 1 de Julho – Participa e discursa no XXII Congresso Eucarístico Internacional, realizado em Madrid.

11 de Fevereiro – Publica, no 54.º aniversário da primeira aparição de Nossa Senhora em Lourdes, o manifesto Palavras de um exilado.

Novembro – Depois de ter publicado, durante a sua estadia em Lourdes, o manifesto Palavras de um exilado, viaja para Roma, ocasião em que S. Pio X o convence a fixar-se na Cidade Eterna.

1913

1914

1915

23 a 27 de Abril – Participa no XXIV Congresso Eucarístico Internacional, realizado em Malta. 

22 a 26 de Julho – Participa no XXV Congresso Eucarístico Internacional, realizado em Lourdes, liderando a delegação portuguesa e redigindo o relatório sobre a presença lusa.

17 de Setembro – É nomeado Prelado Assistente ao Sólio Pontifício pelo Papa Bento XV.

1920

1922

1919

15 de Dezembro – É nomeado Arcebispo titular de Damieta pelo Papa Bento XV.

15 de Março – É inscrito na Academia Arcadia, importante centro cultural de Roma.


13 de Maio – Toma parte, no Vaticano, na canonização da Beata Margarida Maria Alacoque, discípula do Sagrado Coração de Jesus.

15 de Agosto – Na qualidade de Legado Pontifício de Pio XI, coroa a imagem de Nossa Senhora de Altagracia, protectora do povo dominicano. 

correcta8

1923

2023

22 de Janeiro – É atingido por uma pneumonia, que se agudiza por causa da bronquite e dos problemas cardíacos que tinha.
 

29 de Janeiro – Morre santamente, às três horas da madrugada, no Colégio Pio Latino-Americano de Roma, onde vivia desde a sua chegada a Roma.
 
1 de Fevereiro – Exéquias na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma.


16 de Novembro – Chegada do féretro de D. Sebastião a Lisboa. Depois de transportado para o Porto, é velado na capela da Oficina de S. José.


17 de Novembro – As exéquias são celebradas na Sé do Porto, sendo o seu corpo sepultado num jazigo-monumento localizado no cemitério privativo da Santa Casa da Misericórdia do Porto, ao Prado do Repouso.

Setembro – É publicada, por ocasião do centenário do seu passamento, a primeira biografia que lhe é dedicada, da autoria de Diogo Ribeiro de Campos, seu parente, intitulada D. Sebastião Leite de Vasconcellos O Apóstolo da Bondade e editada pela Salesianos Editora.

Create Website with flazio.com | Free and Easy Website Builder